Please enable JS

RECUPERAÇÃO DE RAID-Z

MÉTODOS
EXCLUSIVOS
Equipe que, desde 2006, recupera dados de ambientes com RAID ZFS inacessível por dano em zdev, pool, zvol ou data set.
EFICÁCIA E
SEGURANÇA
Procedimentos executados em laboratório com analista de storage, garantindo preservação de drives e melhores resultados.

INSTALAÇÕES ATENDIDAS

ORACLE® ZFS

CÓDIGO FECHADO

Recuperação de dados em RAID-Z de sistemas baseados em Solaris, com erro de storage por dano em HDs, flash drives, etc.

OPENZFS

CÓDIGO ABERTO

Soluções para recuperar conteúdos perdidos em RAIDZ de distribuições illumOS, BSD e Linux, incluindo OI, FreeNAS e OMV.

NÍVEIS RAID-Z ATENDIDOS

RAID Z1

PARIDADE ÚNICA

Assemelha-se ao RAID 5, mas tendo paridade e distribuição de dados de modo dinâmico e sob demanda, com blocos de tamanho variável.

RAID Z2

PARIDADE DUPLA

Tem os recursos do Z1 (verificação de integridade, auto reparo de arquivos, snapshot, compressão, etc.), com um incremento na paridade.

RAID Z3

PARIDADE TRIPLA

Herda os recursos de Z1/Z2 (escrita em modo copy-on-write, cache avançado, logs transacionais, etc.) e ainda pode resistir a falha de 3 vdevs.

HÍBRIDO

Z[123] + Z[123]

O ZFS permite combinar diferentes arranjos. Exemplos: pode-se criar um nível parecido com RAID 50 (dois RAID-Z1) ou RAID 60 (dois Z2).

ZFS ZVOL

VOLUME

Não é exatamente um RAID-Z, mas pode ser criado à partir de um. É um dataset ZFS que representa um dispositivo de bloco virtual.

ARQUITETURAS RECUPERADAS

NAS

Network-Attached Storage

SAN

Storage Area network

DAS

Direct-Attached Storage

HÍBRIDA

NAS, SAN e DAS

PLATAFORMAS RECUPERADAS

Oracle®, System V, illumos (OpenIndiana, OmniOS, ZFS-Guru, etc.), sistemas BSD (FreeBSD, FreeNAS, XigmaNAS, DragonFly, macOS, etc.), sistemas Linux (Debian, Ubuntu, CentOS, openSUSE, Slackware, etc.) e Windows (OpenZFS on Windows).

Oracle®

Solaris (SunOS v5.10/11)

SVR4

OpenSolaris e derivados

illumos

Napp-it, NexentaStor, etc.

BSD

[Free/Net/Open]BSD, etc.

LINUX

Arch, Debian, Red Hat, etc.

WINDOWS

OpenZFS para Windows

ESTADOS DO
RAID ZFS

ONLINE: RAID-Z funcionando corretamente

OFFLINE: Vdev(s) removido(s) manualmente

REMOVED: Vdev removido em funcionamento

UNAVAIL: RAID-Z indisponível (sem acesso)

DEGRADED: Pool operacional, mas avariado

FAULTED: Vdev, zpool ou zvol, corrompido

Um RAID-Z deve ter os dispositivos desligados ao primeiro sinal de dano

CONCEITOS
BÁSICOS

O RAID-Z (às vezes escrito, erroneamente, como RAIDZ) é um poderoso subsistema de armazenamento digital que integra o ZFS e uma grande inovação trazida por este sistema de arquivos. Foi introduzido em uma das atualizações do Solaris 10, com missão de prover tecnologia de armazenamento de nível corporativo, mas sem obrigatoriedade de equipamentos dedicados ou de alto custo. Ele oferece recursos importantes, principalmente, para arquiteturas que abrigam grandes volumes de dados.

A integração entre o file system, gerenciador de volumes e RAID, permite a criação de grandes pools com apenas uma linha de comando. O processo de reconstituição de arranjo chama-se resilvering e acontece de modo diferente das outras tecnologias RAID. A ligação direta entre o filesystem ZFS e o RAID-Z permite reparo mais rápido de estruturas degradadas, proporcionando economia de tempo e recursos.

Grandes fabricantes de storage appliances produzem servidores NAS (Network-attached Storage) e SAN (Storage Area Network), como Oracle® FS1, Oracle® SPARC T7-4, Sun ZFS Storage 7120/7320/7420, etc., otimizados para uso com RAID-Z.


Principais Características do RAID ZFS:
  • Integração direta entre volume e filesystem
  • Reparo automático (self-healing) imediato
  • Gestão de recursos com COW (copy-on-write)
  • Maior integridade, por transações atômicas
  • Imunidade ao fenômeno de write hole error
  • Data block distribuído e de tamanho variável
  • Independe de hardware específico ou dedicado
  • Desempenho superior a RAIDs convencionais

Um ambiente computacional com RAID-Z pode oferecer considerável resiliência perante desastres digitais, e garantir alta disponibilidade de aplicações e serviços. No entanto, toda tecnologia de armazenamento está vulnerável a incidentes (danos em HDs, erros humanos, ações delituosas, etc.) que ocasionam perda de dados.

HISTÓRICO
COM RAID-Z

O primeiro contato da Hosco com RAID ZFS ocorreu em 2005, decorrente da migração de seu servidor Debian para OpenSolaris com controladoras HBA. O primeiro trabalho de recuperação de arquivos ocorreu, no ano seguinte, em um storage com pool inacessível por causa de HDs defeituosos.

O código original do ZFS era aberto naquele tempo, facilitando a compreensão das operações de read/write registradas nos logs transacionais, criação e validação de blocos (checksums armazenados em merkle4), etc. Isso contribuiu no sucesso desse primeiro caso, trazendo uma valiosa experiência para a equipe e abrindo caminho para essa nova categoria de data recovery service. Desde então, a empresa é pioneira em recuperação de RAID-Z, no Brasil, tendo diversos casos de sucesso.

SOLUÇÕES
OFERECIDAS

Recuperação de RAID-Z (recuperação de dados em RAID-Z) é o nome dado às técnicas aplicadas por profissionais capacitados e experientes, que usam os devidos equipamentos e métodos adequados, para recuperar dados em volume ou dispositivos de armazenamento que compõe um RAID ZFS (RAID-Z1, RAID-Z2 e RAID-Z3). Em inglês, os termos equivalentes mais usados para pesquisa são RAID-Z data recovery, RAID-Z recovery e RAID-Z repair.

As ações são realizadas com ferramentas apropriadas, de modo seguro (preservação de vdevs, estrutura de dados, etc.) e consciente (procedimentos corretos e programados), dentro de um laboratório controlado, com equipamentos próprios para manusear HDs danificados que necessitam ser abertos e estabilizados. Além disso, há um longo histórico real em implementação, administração e proteção de arquiteturas Unix, o qual influencia nos melhores resultados obtidos ao reparar dados perdidos em RAID-Z.

Todo ambiente de armazenamento digital está sujeito a fatalidades, levando empresas a utilizarem a recuperação profissional como forma de resposta a desastres ocorridos em sistemas com RAID-Z. Essas empresas costumam recorrer a Hosco.

RECOMENDAÇÕES

A primeira etapa da análise, que precede o trabalho de recuperação, é a verificação de logs e o histórico de ações (que ocorreram antes do material chegar na Hosco) executadas no RAID-Z e seus componentes. Tentativas forçadas de importação, resilvering e utilização do scrub, agravam danos físicos e lógicos. Portanto, podem diminuir a probabilidade de recuperação e elevar o custo do trabalho.

Procedimentos executados por pessoal não capacitado podem levar a perda definitiva de dados, restando ao cliente buscar reparação judicial de quem cometeu o ato de imperícia e/ou imprudência. Portanto, prevalece a recomendação de desligar imediatamente os componentes do Pool, assim que houver erros ou falhas, e encaminhá-lo para uma empresa especializada.